Procedimento de dança contemporânea que abordava temas envolvidos com a "realidade virtual". Ao tratar o corpo como objeto e o objeto como corpo, se deparou com conceitos como: representação, simulacro, extensão, duplo, simulação, transformação, tradução, mas principalmente construção, manipulação e tratamento, tanto em relação ao corpo, aos objetos quanto a coreografia que a certa altura chegava a radical questão: Como fazer uma dança sem corpo? Discutir a ausência mais do que nunca foi abordar a presença estarrecedora do homem e suas escolhas.

Em OB-GESTOS o espaço teatral italiano foi subvertido e transformado numa enorme instalação. O publico sentava-se no palco e ao fundo da platéia era projetada uma platéia virtual de frente para os expectadores. Foram utilizadas 7 tvs de vários tamanhos, quatro projetores e oito DVDs, além de 400 peças de roupas pretas.

 

 

photos Elenize Desgeninski